Make your own free website on Tripod.com
Escola UEDI UNIMASTERS

Home

Conheça a Escola
Jornal ECO NEWS
PROJETO FARMÁCIA VIVA
Educação Ambiental
Lei de Educação Ambiental
Ética e Cidadania
Trabalho Voluntário
Espécies Vegetais Brasileiras Ameaçadas de Extinção
Receitas com Plantas Medicinais
Plantas Daninhas na Medicina caseira
Plantas do Cerrado e do Pantanal
Nomes Científicos das Plantas Medicinais
Fotos de Plantas Medicinais
Holismo e Fitoterapia
Desafios Ecológicos do fim do Milênio
Em Comunhão com a Natureza
Rumo à Ecologia Profunda
Ecologia Profunda
Manifesto pela Concórdia e Paz Mundial
Contaminação dos Alimentos
Aromaterapia
Os Florais de Bach
Fitoterapia
Contaminação dos Alimentos 2
Dez dicas para se proteger do câncer
Fitoterapia

O uso de ervas medicinais é classificada na categoria de medicina alternativa. Espiritualmente é um caminho de conexão com a Terra. Muitas pessoas poderiam aprender a se auto-curar com remédios naturaisque são menos nocivos. Há várias perguntas sobreo uso medicinal. O que é medicina alternativa? Por que uma pessoa pode escolher tomar ervas em vez de medicamentos farmacêuticos? As pessoas deveriam usar ervas para prevenir ou para curar uma doença?Onde as pessoas podem encontrar ervas para uso medicinal? Como fazem aspessoas para saber que dosagem pode ser usada e a melhor maneira para tomar?

Ervas Medicinais têm sido utilizadas por milhares de anos. OsSumérios, civilização já extinta, guardaramregistros de seus usos de plantas medicinais que data aproximadamente 6000 anos atrás. Quando os primeiros peregrinos vieram ao NovoMundo, eles trouxeram suas ervas medicinais para cultivar em seus jardinse usar para sua saúde. Com o passar do tempo, eles aprenderam autilizar ervas nativas, através de experiências e errospuderam continuar usando ervas medicinais da terra por centenas de anos(Guineness, 1993).

Hoje, aproximadamente 40% dos remédios farmacêuticos disponíveisoriginalmente vem de fontes de ervas (Clayton &McCullough, 1995).A aplicação de tratamentos a base de ervas têm setornado comum e enfoca mais na capacidade do corpo em se auto curar,o que se opõe ao combate apenas ao sintoma específicodos remédios farmacêuticos (Elias & Masline, 1995). Ainda que o uso de ervas medicinais seja comum, não é massivamente utilizada pela população,nem é aceito pela comunidade científica. Isto é, entretanto, comum em muitos outros países de culturas diferentes (Clayton &McCullough, 1995). Muitas pessoas estão se voltando para remédiosde ervas para evitar o lado nocivo dos remédios farmacêuticos,quando elas caem vítimas da falha da medicina moderna, ou quandoa indústria médica não tem tratamento para sua doença (Guiness, 1993). Em um estudo feito pelo Centro Nacional de Estatísticas da Saúde (EstadosUnidos), mortes em decorrência do usodedrogas farmacêuticas, ervas, e vitaminas foram comparadas entre osanos 1981-1993. O estudo mostrou que apenas uma pessoa morria como um resultado direto de tomar suplementos de vitaminas, entretanto, aproximadamente100.000 pessoas morreram como um resultado direto de tomar os remédios farmacêuticos. Nenhuma fatalidade ocorreu pelo uso de ervas.O estudo foi baseado emincidentes onde em todos os três produtos mencionados, os pacientes seguiram suadosagem recomendada (Castleman,1997).

Geralmente, as pessoas são encorajadas a usar ervas como um suplemento que ajuda na saúde, em vez de utilizar quando ficam doentes. Quando alguém é atacado por uma doença geralmente usam os remédios farmacêuticos, que trata apenas o sintoma em vez de atacar a raiz da doença. Muitas ervas podem ser utilizadas juntas com os remédios prescritos (Elias & Masline, 1995). Uma erva geralmente pode atuar no corpo em três caminhos: pode limpar o corpo de impurezas ou de uma doença,pode reconstruir o sistema imunológico, ou pode fortalecer um órgão afetado, assim este curará a si mesmo. Ervas individuais podem combater um ou mais destes problemas, e ervas específicas são utilizadas para doenças específicas embora exista freqüentemente mais que uma erva que pode auxiliar no tratamento deuma doença (Clayton & McCullough,1995).

Algumas ervas são utilizadas na formulação de loções,shampus, e cremes. Outras ervas são recomendadas internamente na formulação de pílulas, tinturas, infusões,decocção, ou crus (Clayton & McCullough,1995). Uma infusão, ou chá, é uma fórmula em que a parte medicinal de uma erva são mergulhadas em água quente por dois a cinco minutos. Uma decocção é parecida com uma infusão, entretanto, as raízes, caules,e outros materiais fibrosos são fervidos por um período mais longo de tempo.

Nos rótulos da maioria dos produtos a base de ervas há uma dosagem sugerida. O ideal seria você procurar um especialista para obter uma recomendação eficiente.